Então, né?…

Oi, gente!

Pois é! Descobri mais um ajuste que preciso fazer à minha rotina doméstica!

Tipo, segunda, cheguei tarde em casa, e tenho traduzido trabalho para fazer aqui. Resultado: a roupa que eu lavei domingo à tarde ainda está no varal; a louça da janta da segunda só foi lavada ontem e ainda está na louça, secando; e o cesto de roupa suja está até a boca!

De fato, não foi uma semana propícia aos afazeres domésticos! Preciso descobrir como conciliar o trabalho daqui com a “lição de casa”! Bem, de qualquer forma, terei esta chance, neste fim de semana…

Vai dar tempo de revisar muita palavra e lavar bastante roupa! 😉

Aliás,

Eu aproveitei o tempo extra ao computador para ouvir música nova! Pois é! Especialmente, na terça de noite! E, na boa, quando um saudosista como eu se dispõe a ouvir músicas novas, vale a pena escutar:

Wolfgang Amadeus Phoenix, do Phoenix (parece que o disco todo é mesma música – mas é uma baita música!)
La Roux, do La Roux (muuuuuuito bom!)
I am… Sasha Fierce, da Beyoncé (o disco que mudou minha opinião sobre ela – antes, eu achava que era só uma mulher maravilhosa, mas agora sei que ela canta muito e pode se sair com músicas ótimas!); e
Turn it Up, da Pixie Lott (o mais fraco da noite – eu só ouvi porque a mina é muito gatinha e porque o nome dela é legal! Mas o disco é bom, sim: só não esperem muito)

Ah, em tempo: outro dia, ouvi o disco novo do Skank, Estandarte! Podem ouvir, que é ótimo!

FUI!

Anúncios

Da saudade e outras coisas

Oi, gente!

Pois é! Ontem, eu estive em São Bernardo do Campo, pela primeira vez depois que vim morar em Sampa.

Doeu o que pôde doer. Nem fui até o Rudge Ramos, porque, senão, iam ter que me arrancar de lá sedado e com camisa de força!

É que, dentre outras coisas, vi que a Merci Discos do Shopping Metrópole fechou, após quase TRINTA ANOS por lá! Caramba, eu me lembro dessa loja desde sempre! Aliás, eu me lembro de que, há exatos vinte anos, a gente comprou aquela coletânea do dIRE sTRAITS, a Money for Nothing, lá, depois de não achar em lugar nenhum! Eles eram careiros, mas tinham as coisas! Espero que a loja deles lá no Rudge ainda esteja em pé!

Enfim, só sei que esse foi um golpe duro! Sério, me molhou os olhos!

E não parou por aí: fui pra casa dos meus pais, revi os gatos (a metida da Gezebel nem me deu atenção!) e fui empacotar coisas minhas que ainda estavam lá! E acabei mexendo em coisas que eu não via há milênios!… Na boa, ano passado, na Páscoa, eu ensinei meu sobrinho a jogar Super-Trunfo, e senti o baque do tempo! Ontem, foi pior! Eu mostrei pra ele os meus Transformers antigos, aqueles que a Estrela lançou aqui antes ainda de a Globo passar o desenho! E ele sabia até quem era o Bumblebee! Quer dizer, o atual, que eu dei pra ele de presente de aniversário neste ano! E eu mostrei o que eu tinha, o fusquinha…

Bom, pra não me alongar nisso, chegou 5:30, eu TIVE QUE sair de lá e voltar pra São Paulo! Não dava mais pra aguentar!

Agora, meus pais vão se mudar pra Sampa, também, mas ainda tenho amigos em São Bernardo, sem falar de mais uma “sobrinha” que vem por aí! E tenho amigos em Santo André, também!

Ou seja, eu ainda vou pisar lá no ABC! Mas vou ter que fazer laboratório, antes!

No mais, mesmo sem companhia, eu vou sair pra curtir São Paulo, hoje! Preciso voltar a morar aqui!

FUI!

Um mês!!!

Pois é! Faz um mês que eu estou no meu apartamento!

(Também é aniversário de casamento dos meus avós e aniversário de uma amiga minha que é testemunha de Jeová e não comemora e de uma amiga da época da faculdade!)

Mas, enfim, as coisas já estão num ritmo bom, aqui. Eu já me adaptei, e coisas como lavar roupa, jantar, almoçar, etc não são mais problema. Mas devo confessar que, de vez em quando, ainda vem aquela sensação de “isto está mesmo acontecendo”?

De qualquer forma, posso descrever a experiência como boa! Eu só queria, mesmo, que o marceneiro e o encanador viessem (já combinei os serviços há mais de um mês, desde antes de morar aqui), e estou ainda com um monte de coisas espalhadas no chão do quarto porque os maleiros não estão em condições de uso… E também não posso lavar os panos de chão, porque também não posso usar a pia da área de serviço!

Mas devo confessar que o melhor mesmo é não ter gatos andando por toda a casa e sujando tudo! Sim, continuo gostando de gatos e sinto saudades dos gatos lá da casa dos meus pais, mas, na boa, tá gostoso ter a casa em ordem… Exceto pelos fios espalhados por toda a casa, por eu ainda não ter nem sofá, nem mesa…

É, essa é uma coisa chata: ainda não pude chamar os amigos pruma pizza, nem a minha família, porque não tenho como receber ninguém. Mas vou ver se consigo resolver isso ainda nesta semana!

Mas o irônico é que, por conta de preços, talvez eu vá comprar os móveis lá em São Bernardo do Campo… Aliás, vai ser meu primeiro contato com a minha ex-cidade!

Não sei como vai ser, o que eu vou sentir. Só sei que vai doer!

Vrrruuuuummmm!

Mudando totalmente de assunto, duas coisas da Fórmula-1.

Não, eu não duvido nada dessa história de o Nelsinho Piquet ter batido de propósito no GP de Cingapura, no ano passado. Só que, por ter concordado, Nelsinho se torna cúmplice! Se concordou com essa trapaça, é tão criminoso quanto quem deu a ordem! E, pra piorar, isso mancha um dos momentos mais bacanas da temporada do ano passado: a improvável vitória de Fernando Alonso, companheiro de equipe de Nelsinho!

Sim, eu acredito que o Barrichello ainda pode ser campeão! E tomara que seja mesmo! Primeiro, porque ele merece! É um grande piloto e provou isso domingo, em Monza. Segundo, porque o público brasileiro adora falar mal dele, só por diversão – quero muito ter o prazer de ver as caras do pessoal que fica fazendo piadas da cara dele!

Mas é duro, né, o brasileiro tem isso: se não é igual ou melhor ao Ayrton Senna, não presta! Na boa, eu sou brasileiro de nascença e de vivência, então, posso dizer: ETA POVINHO METIDO!

Ah, antes que alguém venha com a história de “o segundo é o primeiro entre os perdedores” (tese absurda defendida pelo Nelson Piquet, o pai, cuja reputação também deve sair manchada do “Cingapuragate”), proponho um raciocínio: imaginem o último colocado de uma corrida, seja qual for. Imaginaram?

Perguntem pra ele se gostaria de ter chegado em segundo!

FUI!

A lição mais importante

Oi, gente!
Hoje, estou completando TRÊS SEMANAS aqui no apto novo! É!
As coisas estão até que se ajeitando bem! Tipo, a minha cesta de roupa suja está vazia! Já lavei banheiro, já limpei chão da cozinha…
Mas eu descobri uma coisa que eu já deveria saber, na verdade.
Não adianta mudar de casa, se eu não mudo a mim mesmo.
É claro que há coisas que ajudam, estando num lugar novo, morando sozinho. Mas tem mudanças que independem do lugar em que se está.
Fui!