O Brasil de chuteiras, tênis, raquetes,… ou não!

Sabem, eu sou da época em que defender a seleção do próprio país era considerado (oficialmente) a maior honra para um esportista. Claro que esse tempo já passou, mas eu ainda não consigo deixar de ficar chateado com algumas coisas.
Por exemplo, tivemos o caso de jogadores de basquete que se recusaram a defender a seleção brasileira, no pré-olímpico, alegando vários motivos, quando, no fundo, se trata de não querer defender a seleção. Esses atletas jogam na NBA, considerada a melhor liga de basquete do planeta. Precisam da seleção? Eles acham que não!
Outra coisa que ando ouvindo muito por aí é que a Copa América de Futebol atrapalha os times, que tem que ceder jogadores para a seleção, ficando desfalcados em pleno Campeonato Brasileiro! Opa! Ok, concordo que os times têm um problema (que, aliás, se deve à CBF e seus calendários), mas, caramba, o que é mais importante? Pois, para meu imenso desgosto, tenho ouvido que o mais importante são os times! E tenho ouvido isso tanto de torcedores, que não gozam muito do meu respeito, quanto de comentaristas esportivos que gozam do meu respeito (e de outros que não)! Eu já ouvi gente dizendo que vai torcer pro Brasil ser eliminado logo, pros jogadores poderem voltar pros times!!
É o fim da picada!
E tudo isso amparado pelo raciocínio muito em voga, hoje, de que uma seleção NÃO É o país. Hum… Putz, isso daria uma discussão de anos, aqui…
Eu fico pensando: que bandeira é hasteada, quando uma seleção ganha? Que hino que toca, antes do jogo? Por outro lado, temos vários e vários casos de atletas que trocam de nacionalidade para poder defender outra seleção que não a de seu país – e poder faturar em cima disso! Como se estivessem trocando de clube!
Já disse, eu sou de outra época: para mim, quando a seleção brasileira entra em campo, não interessa que esporte seja, é o meu país, sim, que está lá! É para eles que eu torço, é por eles que eu me emociono. Deixar de participar da seleção porque o time que está pagando não quer ou porque o próprio atleta não se interessa mais – afinal, já está jogando no exterior, e seleções, hoje, servem mais como vitrines – é falta de patriotismo, sim!
Mas esta é a época do “patriotismo não paga mercado” e de times mais importantes do que seleções. Vou ter que me acostumar.
Só que jamais vou gostar! E me perdoem, torcedores, por seus importantíssimos times ficarem sem seus craques, mas eu vou continuar torcendo – sim, eu também sou torcedor! – pela seleção na Copa América – assim como estou torcendo pro Brasil no Mundial Feminino e também no Sub-17! Assim como eu torci pro Santos, na final da Libertadores – afinal, era o time brasileiro na final da competição!
É, eu sou de outra época!
Anúncios

O inimigo do meu inimigo é meu amigo

Reta final de campeonato brasileiro, faltando só uma rodada, todo mundo
(bem, todo mundo que tem o mínimo de senso) aplaudindo a fórmula de
pontos corridos, quatro equipes disputando o título…
Opa! Eu disse "quatro equipes"?
Hum… Talvez não seja bem assim!
Vamos aos fatos: hoje, no jogo Corinthians 0 x 2 Flamengo, quatro coisas me pareceram interessantes:

– três jogadores do time paulista tiveram estiramento – inclusive o Ronaldo Gorducho
– o Defederico perdeu o gol mais feito da temporada

o goleiro do Corinthians, Felipe, não pulou para defender o pênalti que
resultou no segundo gol rubro-negro; aliás, o arqueiro até bateu
palmas, depois…
– a derrota do "Timão" prejudicou diretamente
Palmeiras e São Paulo – os dois maiores rivais históricos do time do
Parque São Jorge!

Agora, o Flamengo lidera e, claro, só depende
de si, na última rodada, contra o Grêmio, no Maracanã. Mas vejam que
interessante: o time gaúcho já anunciou que vai entrar com o time
reserva, por não ter mais pretensões na competição.
Até aí, tudo
bem, mas olhemos para a tabela: o atual vice-líder do Brasileirão é o
Internacional de Porto Alegre – o maior rival histórico do supracitado
Grêmio!
Bem, cada um pode interpretar os fatos da forma que lhe convier.
Eu já tenho a minha interpretação.

Enquanto isso, lá embaixo…

E
o Fluminense, hein? Confesso: eu já dava o time das Laranjeiras como
rebaixado faz tempo! Mas o tricolor calou a minha boca e a de
muuuuuuita gente e saiu da zona do rebaixamento! Ainda não está livre
de risco, mas as chances de eles permanecerem na primeira divisão são
muito boas!
Aliás, na verdade, mais do que um eventual título do
Flamengo, as duas histórias do campeonato devem ser mesmo a de
Palmeiras e Fluminense! Mas só vamos saber disso no domingo que vem!

FUI!

O último saque

Oi, de novo…

Puxa, eu não estava nem sabendo. Quer dizer, eu já sabia, mas não sabia que seria hoje!
Eu acabei colocando na ESPN Brasil e vi o jogo de despedida o Gustavo Kuerten, o Guga!
Duro, né? Tudo o que ele já fez – convém lembrar que ele tem três títulos de Roland Garros – e ter que parar ainda jovem, por causa de lesão…
A partida final foi lá em Roland Garros, claro! E o Guga levou pra casa um pedaço da quadra central do complexo! Um pouco do chão que o consagrou e que ele engrandeceu!
Eu não vou ficar falando muito, aqui, porque eu não sou entendido em tênis! Deixo só o "valeu, Guga", humildemente!

Fui!

Monegasco

Oi, gente!

Pois é, mesmo sendo o último dia do feriadão (já?!?), eu acordei cedo para ver o Grande Prêmio de Mônaco, a corrida mais charmosa e mais díficil da temporada!
Tem gente que acha que não devia mais ter essa corrida. Que não há uma estrutura adequada para as equipes, etc…
Em hipótese alguma, a prova de Mônaco deve ser tirada do calendário!
Não vou fugir do clicê: essa é a corrida que separa os meninos dos homens! É por causa dessa corrida que eu respeito, e respeito muito, Olivier Panis – sua carreira na Fórmula-1 não teve muito destaque, mas ele já venceu em Mônaco! E Mônaco é um dos motivos por que eu respeito também, e muito, Rubens Barrichelo! Em 1997, debaixo de um toró, ele chegou em segundo, pilotando uma fraca Stewart! Quem o superou, o único que o superou naquele dia? Michael Schumacher, a bordo de uma Ferrari!! E ninguém mais!
E é por isso que, a partir de hoje, eu tenho um pouco MENOS de respeito por Kimi Raikkonen! Ei, eu sei: ninguém é campeão mundial de F-1 a toa! Mas, com todo o respeito, alguém que carrega o número um tem que ter um desempenho pelo menos decente em Monte Carlo, mesmo sob chuva! PRINCIPALMENTE sob chuva! Aliás, pra quem viu a corrida, hoje, Adrian Sutil, com uma Force India, estava fazendo uma corrida fantástica, quando Raikkonem cometeu uma BARBEIRAGEM e o tirou da prova!
Também tenho um pouco menos de respeito por Felipe Massa – que saiu na pole position! Mas ele também fez sua barbeiragem… Mesma coisa para Fernando Alonso, que é bom, muito bom, mas é muuuuuito afobado! Coisa que não combina com um bicampeão mundial!
Agora, MUITO MAIS respeito pelo já citado Sutil e também, vejam só, por Mark Webber! Ah, claro: Barrichello levou o fraco carro da Honda (incrível ter que dizer isso) ao sexto lugar! E mais, muito mais: Lewis Hamilton, que venceu, e venceu bem, se recuperando de uma batida, inclusive, e Robert Kubica, que chegou em segundo, numa corrida brilhante!
Ufa!…
É! Mônaco é Mônaco!! E quem não gosta/quem tem medo, que fique em casa!!

E tenho dito!