(Im)Perfeição

Por coincidência ou não, eu tenho visto, nos últimos dias, textos fazendo elogios à imperfeição. De maneira geral, é gente comentando como o que é perfeito é chato, como o que é perfeito não tem graça… Honestamente, eu acho isso tudo muito estranho! Pra mim, é uma ideia que não faz sentido.

Vamos colocar da seguinte forma: eu não vou mentir – eu sempre fui obcecado por fazer tudo direitinho, eu nunca gostei, nunca curti quando as coisas dão errado, quando as coisas não saem como desejado. Com o passar do tempo, fui percebendo que, na verdade, essa coisa da imperfeição realmente atrapalhava. E muito!

Aí, eu penso: a minha experiência de vida, tudo o que aconteceu comigo nesses 42 anos aponta pro uma confirmação quase incontestável de que, para tudo dar certo, tudo tem que ser perfeito! Não é como eu vejo pessoas ultimamente falando, louvando as imperfeições, que as imperfeições abrem espaço para a inovação, e a imperfeição permite descobrir coisas novas, e isso, e aquilo… Olha, isso nunca, nunca, nunca aconteceu comigo!

Aí, então, fico pensando nas experiências de vidas diferentes, ok, mas será mesmo que essas pessoas que tanto louvam a imperfeição realmente nunca tiveram problemas por isso? Será que, no final, realmente tudo certo será pra essas pessoas? Tá tudo bem mesmo? Será que, por causa de imperfeições, elas nunca sofreram prejuízos, danos, perdas de que elas nunca puderam se recuperar?

Eu realmente duvido disso.

O que eu acredito, acredito piamente, é que, no final, tudo tem que se encaixar direitinho, para as coisas darem certo! É como um carro, né? Se tiver alguma peça imperfeita lá dentro, você vai ficar no meio do caminho, você vai virar a esquina da sua casa e vai ter, de repente, o radiador estourado, soltando fumaça pra tudo quanto é lado, e aí você vai chegar atrasado no encontro, não vai conseguir pegar a sua filha na escola, não vai conseguir chegar a tempo pra entrevista de emprego…

Por outro lado, se tudo dá certo, se tudo sai direitinho como planejado, você vai causar uma boa impressão no encontro, vai conseguir chegar a tempo de pegar seu filho na escola, vai conseguir chegar até a entrevista de emprego, e aí vai você ficar tranquilo, tudo vai estar em paz, tudo vai estar sobre controle, tudo vai estar como deveria! Tudo estará perfeito!

Alguém aí, com certeza, já deve estar pensando alguma coisa do tipo “mas nunca se sabe, pode ser uma coisa do destino, o carro quebrou porque não era pra você chegar até lá”… pode ser! Mas, ainda assim, eu tenho pra mim que essas são exceções pra confirmar a regra, porque, no geral quando as coisas saem dos trilhos, a casa cai!

Eu honestamente prefiro que tudo dê certo e honestamente prefiro que meu carro funcione no momento que eu preciso dele, preciso de que o forno funcione para que a minha comida fique pronta na hora certa, preciso ter a ideia certa na hora certa…

Aliás eu vou dar um exemplo: em informática, é bastante raro conseguir usar uma coisa assim de cara! Vai instalar um cabo, um programa, um acessório qualquer, tem sempre aquela luta para fazer tudo ficar como deveria… Já tentaram instalar um headset bluetooth no Windows 8.1? Nossa, é de chorar!

E GPS, então? Às vezes, ele não acha exatamente onde eu estou! Ele acha que eu tô na rua do lado, na outra pista… Quantas vezes já não me perdi por isso, já tive dor de cabeça por causa disso? Demorei mais para chegar, peguei mais trânsito..

Outro exemplo, o computador! Você o liga para ver um filme, por exemplo, e a imagem começa a travar… aí, você vê a luz do HD piscando feito louca – o bonito resolveu baixar e instalar atualizações bem na hora do filme!

Por outro lado, quando abro um programa e ele realmente funciona, eu fico calmo! Eu fico satisfeito e tranquilo! Quando o GPS mostra exatamente onde você que chegar, fica tudo bem! Sabem, quando eu consigo capturar ou captar a palavra certa pra usar numa tradução… Nossa, maravilhoso!

Pra mim, a ideia de felicidade passa pela perfeição! Para que tudo dê certo, para que a gente possa ficar tranquilo, sossegado e, por conseguinte, feliz, enfim, para tudo dar certo, tudo tem que estar na hora certa, no lugar certo, do jeito certo! Felicidade, para mim, é isso!

E, sim, eu sei, não vai ter jeito, não é assim que as coisas são, né? Não é assim que a banda toca, como já disse alguém. Eu sei que a vida é imperfeita, é defeito pra tudo quanto é lado, e olha, é terrível, às vezes, é difícil ter que lidar com tanta imperfeição, é difícil ter que lidar com tanta coisa fora do lugar, é difícil ter que lidar com tanta incompetência, com tanta inadequação, com tanta…

Enfim, melhor eu parar por aqui, porque esse texto não está perfeito… Paciência! Se bem que paciência é algo que eu não tenho, e, nossa, o que isso me atrapalha a vida… Pena que paciência não é uma coisa que se consegue no supermercado, né?

Nossa, isso seria perfeito!

Anúncios

iPhone 5 – ou não!

Ok, estamos finalmente perto do anúncio da descoberta do sentido da Vida, o que foi tema de incontáveis posts em blogs, especulações e…

Ah, espera… Foi mal, eu me confundi! Amanhã é o anúncio do iPhone 5 ou 4S, ou sei lá!

Enfim, eu passei os últimos meses acompanhando a boataria sobre o novo iPhone: teve muito “chute”, muita engenharia reversa, muita espionagem em listas de operadoras, muitas declarações contraditórias… Eu chego até a pensar se isso não é tudo de propósito pra ninguém saber REALMENTE o que vai ser anunciado em Cupertino, amanhã!

Mas, numa verdadeira cratera de reportagem, eu consegui apurar os recursos e características que DE FATO veremos no telefone novo da Apple! Vamos ver o que o Sr Jobs, aliás, o Sr Cook… bom, no fundo, no fundo, o Jobs, né? Mas, enfim:

– o aparelho terá a marca da Apple, mas vai ser fabricado na China
– o nome será “iPhone” seguido de um número
– ele vai ter um recurso que permitirá que você fale com outra pessoa, bastando digitar uma sequência de números
– ele vai ter suporte a arquivos MP3
– armazenamento: vai caber mais que um arquivo
– será feito principalmente de plástico, silício e metais
– vai servir para tirar fotos
– vai ter integração com redes sociais

No mais, dá pra afirmar também que:

– o evento de apresentação vai ser nos Estados Unidos
– o twitter vai baleiar
– o Facebook vai ser coberto de comentários
– centenas de blogs vão acompanhar ao vivo
– vai demorar pro iPhone novo sair no Brasil
– vai dar pra comprar desbloqueado ou em planos de operadoras

Bom, é isso: depois de tanta especulação, só aqui você leu as verdadeiras verdades sobre o iPhone 5, num buraco de reportagem! Informei!

Agora, é só passar a noite ansioso pelo anúncio de amanhã!…

Pod, cast?

É, eu sei. Infame. Mas eu cresci assistindo a O Agente 86, então, pra mim, não tem galho! Vocês é que são chatos!

Enfim, não vim aqui pra falar nisso. Vim pra falar que eu adoro rádio!

É, rádio. É muito gostoso de ouvir! Aquela expectativa de não saber qual vai ser a próxima música, ou qual vai ser a ordem das músicas na parada do dia, ou ainda uma coisa muito legal que diferencia o rádio da experiência de fazer uma playlist com milhares de arquivos em MP3!

O fator humano.

Tem uma pessoa, lá, do outro lado, no estúdio, programando as músicas, falando com a gente, entre elas. Sim, eu gosto de locutores falando. Tem uma rádio que eu ouvia, mas parei de ouvir justamente quando virou o que eu chamo de "rádio MP3"! É só música, sem ninguém falando. Tudo bem, o repertório até que é bom, mas perde metade da graça!

Mas estamos na era do MP3, da internet. E, felizmente, existe uma coisa que é a junção entre o rádio e o MP3: o podcast!

Basicamente, é um programa feito por alguém que não precisa ser profissional de mídia – aliás, geralmente, nem é! É uma pessoa "comum" que não achou na rádio "normal" um programa ou programação do jeito que ela queria. É a velha máxima do do it yourself, o "faça-você-mesmo"!

Eu gosto MUITO de ouvir podcasts! É que nem ouvir rádio (puxando para o AM, convenhamos), mas com uma vantagem: eu posso baixar, ouvir no computador ou no MP3 player ou até mesmo gravar em CD e ouvir no discman, se for o caso, na hora em que eu quiser! É só colocar o link num agregador como o iTunes ou o Ziepod (que é o que eu uso), baixar pro computador e ouvi-lo como quiser! É tudo de bom!

De qualquer forma, eis aqui uma listinha dos podcasts que eu costumo ouvir. Lembrando que nem todos são feitos por profissionais, então, tem alguns que são meio bissextos, ok? O link no nome vai para a página do podcast, que tem o link para o agregador, além de textos relacionados aos "pods". Vamos lá:

Aline Multiply – bem, o nome não é mais esse! Chamava assim quando a dona do "pod", Aline Rodrigues, tinha a página no Multiply. Como ela mesma diz, "música latina, cotidiano e Fórmula-1". Sim, ela gosta de F-1 – e também atende pelo nome de "lynwilliams" – adivinha por quê! De qualquer forma, é muito gostoso de ouvir, um podcast feito com bom humor! Recomendado!

Alto-falante – esse é profissional! É um programa de rádio lá de Minas Gerais – na verdade, um programa de TV, que passa na TV Cultura e na Rede Minas! O foco são as novidades musicais, mais de fora no Brasil, com muitos e muitos comentários. Aliás, esse é um problema deles: são três locutores, eles entendem do riscado, mas me parece que eles se acham os grandes donos da verdade! Ouçam e entenderão (atenção aos tons de voz). De qualquer forma, vale ouvir! É bom, sim!

Rádio OnBoard – ouvi pela primeira vez nesta semana. É uma mesa redonda sobre fórmula-1. O primeiro programa tem participação da Aline Rodrigues. Confira!

Espaço Retrô – velharia, muuuuuuuuuuuita velharia, especialmente dos anos 80! Apresentado por Tato Garcia – que tem até um sebo, vejam vocês! Ah, além de música, tem trechos de propagandas antigas! Imperdível!

IDG Now! – do site homônimo. Entrevistas com profissionais de tecnologia. É bem curtinho, com cerca de 15 minutos.

SemanaTech – um dos sites do portal da revista INFO. O pessoal da redação comenta as principais notícias da semana – mas não muito animados, porque, afinal, o "pod" é gravado e disponibilizado na sexta de tarde!

PodSemFio – vejam só: era uma vez, em Curitiba, uma dentista que era fanática por tecnologias móveis! O que ela fez? Beatriz "Bia" Kunze se tornou especialista no assunto e fez um blog e um podcast – elé a Garota sem fio! Muito bacana, ouçam!

Trama Virtual – é o caos na Terra! Aliás, no UOL! O pessoal que trabalha no portal "Trama Virtual" faz um podcast ABSURDAMENTE LOUCO com os lançamentos disponibilizados no site – e muitos, muitos, muitos assuntos paralelos! "Caótico" é pouco! "Divertido" é a palavra! E as músicas costumam ser muito bacanas!

Enfim, essas são apenas algumas sugestões! Há vários diretórios de podcasts (como o Odeo, o Vocepod – esse é brazuca! – e o Podomatic) e, com certeza, tem um com o tema que te interessa!

E, se não tiver, ora, faça o seu! 😉

FUI!