Momento Pipoca: Monstros Vs Alienígenas (Monsters Vs Aliens, EUA, 2009, ****)

Uma garota que, no dia do seu casamento, foi atingida por um meteorito
e virou uma gigante. Um ser que é meio macaco, meio peixe. Um cientista
que, num experimento parcialmente fracassado, acabou ficando com cabeça
de barata. Uma massa gelatinosa, indestrutível e sem cérebro. E um
inseto gigantesco! Acredite, eles são a nossa única esperança, quando a
Terra é invadida por alienígenas!
Esse é o mote da deliciosa
animação "Monstros vs Alienígenas", feita pela Dreamworks, o mesmo
pessoal que fez "Shrek", "Monstros S.A." e tantos outros! E eles
acertam a mão outra vez!
O grande lance do filme é pegar os monstros
do cinema americano dos anos 50 – na ordem do primeiro parágrafo,
Susan, Elo Perdido, Dr. Barata, B.O.B. e Insectossauro, dar-lhes uma
atualizada, dar-lhes personalidade e fazer um filme em que ação,
comédia e drama se equilibram, num filme perfeito pra se ver num sábado
de tarde, com os amigos! É claro que há escorregões, como a figura do
presidente norte-americano, extremamente caricata. Mas esse é o único defeito do filme!
Enfim, desliga o computador, chama a galera e vai
pro cinema! Ah, sim: tentem achar uma sala com projeção em 3D! É mais
caro, mas vale a pena! E outra: podem ver a versão dublada, sem medo –
está ótima!
Boa diversão!

Hoje não dá

Oi, gente.
Ontem, novamente, um namoro meu se acabou.
Não foi uma
surpresa. Eu já tinha percebido, nas últimas duas semanas, que as
coisas não estavam tão bem. Na semana passada, então, tudo ficou muito
claro. E ontem, oficialmente, tudo se acabou.
("Coroando", aliás, uma semana horrorosa em praticamente todos os campos da minha vida.)
Eu
não sei se a ficha ainda não caiu ou se é o fato de eu já estar
esperando por isso, mas os meus sentimentos estão meio anestesiados. Eu
não sinto nada. O dia está lindo, lá fora, mas tudo o que eu queria é
que estivesse um dia típico de outono, garoento, para eu ficar
deprimido, olhando pela janela. Um dia bonito, na verdade, seria para
passear, ver a vida.
Mas hoje não dá.

Legião Urbana – Os Anjos
(Renato Russo)

Hoje não dá
Hoje não dá
Não sei mais o que dizer
E nem o que pensar

Hoje não dá
Hoje não dá
A maldade humana agora não tem nome
Hoje não dá

Pegue duas medidas de estupidez
Junte trinta e quatro partes de mentira
Coloque tudo numa forma
Untada previamente
Com promessas não cumpridas
Adicione a seguir o ódio e a inveja
Dez colheres cheias de burrice
Mexa tudo e misture bem
E não se esqueça antes de levar ao forno temperar
Com essência de espirito de porco
Duas chicaras de indiferença
e um tablete e meio de preguiça

Hoje não dá
Hoje não dá
Está um dia tão bonito lá fora
E eu quero brincar

Mas hoje não dá
Hoje não dá
Vou consertar a minha asa quebrada
E descansar

Gostaria de não saber destes crimes atrozes
É todo dia agora e o que vamos fazer?
Quero voar pra bem longe mas hoje não dá
Não sei o que pensar e nem o que dizer
Só nos sobrou do amor
A falta que ficou

Entretanto, à Carolina, agradeço.
Todas
as minhas nove namoradas, até agora, por mais complicado que tenha sido
o relacionamento (e todos foram), ampliaram meus horizontes, minha
visão, me fizeram aprender coisas e, principalmente, aprender coisas
sobre mim mesmo. E – com todo o respeito às outras – a Carolina foi a
que mais me ensinou. Não foi fácil, não foi agradável, mas eu aprendi
muito com ela. Arigatou.

Agora, sei lá o que vou fazer.