Em defesa dos nomes de comida!

Sabe, os idiomas, no fundo, no fundo, são seres vivos – eles ficam indo e vindo ao seu bel-prazer! E, nessas idas e vindas, rolam umas curvas erradas!

Por exemplo, aqui no Brasil, tem quatro injustiças enormes feitas com nomes de alimentos! Vamos da mais recente para a mais tradicional (mas não menos errada – aliás, talvez seja a pior!)

Nutella

Então, essa é praticamente ofensiva!

Nutella é uma das coisas mais gostosas que existem na face da Terra! Tipo, é praticamente uma prova de que Deus não só existe, como nos ama! Um sabor inigualável, uma cremosidade… hummmm! Me dá vontade, só de pensar!

Só que, aí, vem o pessoal usar Nutella como ofensa, no sentido de “mauricinho”, “almofadinha”! Manja aquele meme do insira-uma-profissão-aqui “raiz” contra insira-a-mesma-profissão-aqui “nutella”? Então, esse mesmo!

Gente… Nutella tinha que ser elogio!!

Tipo, a sua namorada apareceu maravilhosa para a festa? “Nossa, amor, como você está Nutella!”

Saiu um videogame 4K novinho em folha? “Mano, isso é muito Nutella!”

Alguém te fez uma gentileza? “Nossa, obrigado, isso foi muito Nutella da sua parte!”

Mortadela e Coxinha

Nossa, esses dois…

Então, vamos estabelecer, desde já, que mortadela é gostosa, e coxinha, também! Então, não faz sentido, não mesmo, associá-las a coisas ruins – ESPECIALMENTE à política!

Você quer xingar alguém da esquerda? Chama de aspargo!

Quer xingar alguém da direita? Chama de jiló!

“Nossa, eu parei de falar com aquele cara, porque ele ficou muito aspargo!”

“Esses caras são muito jilós, querem a volta do regime militar!”

Acabar em pizza

Essa é a pior!

A pior mesmo!

A maior injustiça semântico-culinária de todos os tempos!

Sério, gente? Negociatas, acordos, “abafa o caso” e tudo mais… PIZZA?!?!?!?

Gente, isso é prato de salada! Pão sem glúten! Coca zero! Adoçante!

Pizza também é praticamente uma prova do Amor Divino por nós e, nossa, num mundo perfeito, haveria pizzarias em cada esquina, e as pessoas seriam felizes por causa disso!

Não, mais do que isso! O dia em que os alienígenas vierem nos visitar/invadir, vamos oferecer pizza para eles! Vai ser o dia em que, finalmente, teremos uma comida realmente universal, porque TODO O UNIVERSO vai amar!

Não, o multiverso também! Aquele dia que aparecer sua versão de um outro universo em que não tenha pizza, ensina para ela! A pizza vai ultrapassar a barreira das dimensões!!

Mas a gente cisma de usar “acabar em pizza” para coisa ruim…

O certo seria “CPI da carne acaba em salada”, “Reunião para renúncia de Temer acaba em sopa” ou algo assim!

Acabar em pizza seria, nossa, quando a Michele e eu começamos a namorar… isso, sim, é uma pizza!

Brasil conquistou o hexa na Rússia 2018! Acabou em pizza!

Descobriram a cura do câncer? Acabou em pizza, também!

Mas, eu sei, isso é tudo ilusão… Como eu disse lá em cima, a língua é um ser vivo! As palavras escolhem o que elas querem significar!

Mas que isso está errado, está!

Anúncios

(Im)Perfeição

Por coincidência ou não, eu tenho visto, nos últimos dias, textos fazendo elogios à imperfeição. De maneira geral, é gente comentando como o que é perfeito é chato, como o que é perfeito não tem graça… Honestamente, eu acho isso tudo muito estranho! Pra mim, é uma ideia que não faz sentido.

Vamos colocar da seguinte forma: eu não vou mentir – eu sempre fui obcecado por fazer tudo direitinho, eu nunca gostei, nunca curti quando as coisas dão errado, quando as coisas não saem como desejado. Com o passar do tempo, fui percebendo que, na verdade, essa coisa da imperfeição realmente atrapalhava. E muito!

Aí, eu penso: a minha experiência de vida, tudo o que aconteceu comigo nesses 42 anos aponta pro uma confirmação quase incontestável de que, para tudo dar certo, tudo tem que ser perfeito! Não é como eu vejo pessoas ultimamente falando, louvando as imperfeições, que as imperfeições abrem espaço para a inovação, e a imperfeição permite descobrir coisas novas, e isso, e aquilo… Olha, isso nunca, nunca, nunca aconteceu comigo!

Aí, então, fico pensando nas experiências de vidas diferentes, ok, mas será mesmo que essas pessoas que tanto louvam a imperfeição realmente nunca tiveram problemas por isso? Será que, no final, realmente tudo certo será pra essas pessoas? Tá tudo bem mesmo? Será que, por causa de imperfeições, elas nunca sofreram prejuízos, danos, perdas de que elas nunca puderam se recuperar?

Eu realmente duvido disso.

O que eu acredito, acredito piamente, é que, no final, tudo tem que se encaixar direitinho, para as coisas darem certo! É como um carro, né? Se tiver alguma peça imperfeita lá dentro, você vai ficar no meio do caminho, você vai virar a esquina da sua casa e vai ter, de repente, o radiador estourado, soltando fumaça pra tudo quanto é lado, e aí você vai chegar atrasado no encontro, não vai conseguir pegar a sua filha na escola, não vai conseguir chegar a tempo pra entrevista de emprego…

Por outro lado, se tudo dá certo, se tudo sai direitinho como planejado, você vai causar uma boa impressão no encontro, vai conseguir chegar a tempo de pegar seu filho na escola, vai conseguir chegar até a entrevista de emprego, e aí vai você ficar tranquilo, tudo vai estar em paz, tudo vai estar sobre controle, tudo vai estar como deveria! Tudo estará perfeito!

Alguém aí, com certeza, já deve estar pensando alguma coisa do tipo “mas nunca se sabe, pode ser uma coisa do destino, o carro quebrou porque não era pra você chegar até lá”… pode ser! Mas, ainda assim, eu tenho pra mim que essas são exceções pra confirmar a regra, porque, no geral quando as coisas saem dos trilhos, a casa cai!

Eu honestamente prefiro que tudo dê certo e honestamente prefiro que meu carro funcione no momento que eu preciso dele, preciso de que o forno funcione para que a minha comida fique pronta na hora certa, preciso ter a ideia certa na hora certa…

Aliás eu vou dar um exemplo: em informática, é bastante raro conseguir usar uma coisa assim de cara! Vai instalar um cabo, um programa, um acessório qualquer, tem sempre aquela luta para fazer tudo ficar como deveria… Já tentaram instalar um headset bluetooth no Windows 8.1? Nossa, é de chorar!

E GPS, então? Às vezes, ele não acha exatamente onde eu estou! Ele acha que eu tô na rua do lado, na outra pista… Quantas vezes já não me perdi por isso, já tive dor de cabeça por causa disso? Demorei mais para chegar, peguei mais trânsito..

Outro exemplo, o computador! Você o liga para ver um filme, por exemplo, e a imagem começa a travar… aí, você vê a luz do HD piscando feito louca – o bonito resolveu baixar e instalar atualizações bem na hora do filme!

Por outro lado, quando abro um programa e ele realmente funciona, eu fico calmo! Eu fico satisfeito e tranquilo! Quando o GPS mostra exatamente onde você que chegar, fica tudo bem! Sabem, quando eu consigo capturar ou captar a palavra certa pra usar numa tradução… Nossa, maravilhoso!

Pra mim, a ideia de felicidade passa pela perfeição! Para que tudo dê certo, para que a gente possa ficar tranquilo, sossegado e, por conseguinte, feliz, enfim, para tudo dar certo, tudo tem que estar na hora certa, no lugar certo, do jeito certo! Felicidade, para mim, é isso!

E, sim, eu sei, não vai ter jeito, não é assim que as coisas são, né? Não é assim que a banda toca, como já disse alguém. Eu sei que a vida é imperfeita, é defeito pra tudo quanto é lado, e olha, é terrível, às vezes, é difícil ter que lidar com tanta imperfeição, é difícil ter que lidar com tanta coisa fora do lugar, é difícil ter que lidar com tanta incompetência, com tanta inadequação, com tanta…

Enfim, melhor eu parar por aqui, porque esse texto não está perfeito… Paciência! Se bem que paciência é algo que eu não tenho, e, nossa, o que isso me atrapalha a vida… Pena que paciência não é uma coisa que se consegue no supermercado, né?

Nossa, isso seria perfeito!

O Brasil de chuteiras, tênis, raquetes,… ou não!

Sabem, eu sou da época em que defender a seleção do próprio país era considerado (oficialmente) a maior honra para um esportista. Claro que esse tempo já passou, mas eu ainda não consigo deixar de ficar chateado com algumas coisas.
Por exemplo, tivemos o caso de jogadores de basquete que se recusaram a defender a seleção brasileira, no pré-olímpico, alegando vários motivos, quando, no fundo, se trata de não querer defender a seleção. Esses atletas jogam na NBA, considerada a melhor liga de basquete do planeta. Precisam da seleção? Eles acham que não!
Outra coisa que ando ouvindo muito por aí é que a Copa América de Futebol atrapalha os times, que tem que ceder jogadores para a seleção, ficando desfalcados em pleno Campeonato Brasileiro! Opa! Ok, concordo que os times têm um problema (que, aliás, se deve à CBF e seus calendários), mas, caramba, o que é mais importante? Pois, para meu imenso desgosto, tenho ouvido que o mais importante são os times! E tenho ouvido isso tanto de torcedores, que não gozam muito do meu respeito, quanto de comentaristas esportivos que gozam do meu respeito (e de outros que não)! Eu já ouvi gente dizendo que vai torcer pro Brasil ser eliminado logo, pros jogadores poderem voltar pros times!!
É o fim da picada!
E tudo isso amparado pelo raciocínio muito em voga, hoje, de que uma seleção NÃO É o país. Hum… Putz, isso daria uma discussão de anos, aqui…
Eu fico pensando: que bandeira é hasteada, quando uma seleção ganha? Que hino que toca, antes do jogo? Por outro lado, temos vários e vários casos de atletas que trocam de nacionalidade para poder defender outra seleção que não a de seu país – e poder faturar em cima disso! Como se estivessem trocando de clube!
Já disse, eu sou de outra época: para mim, quando a seleção brasileira entra em campo, não interessa que esporte seja, é o meu país, sim, que está lá! É para eles que eu torço, é por eles que eu me emociono. Deixar de participar da seleção porque o time que está pagando não quer ou porque o próprio atleta não se interessa mais – afinal, já está jogando no exterior, e seleções, hoje, servem mais como vitrines – é falta de patriotismo, sim!
Mas esta é a época do “patriotismo não paga mercado” e de times mais importantes do que seleções. Vou ter que me acostumar.
Só que jamais vou gostar! E me perdoem, torcedores, por seus importantíssimos times ficarem sem seus craques, mas eu vou continuar torcendo – sim, eu também sou torcedor! – pela seleção na Copa América – assim como estou torcendo pro Brasil no Mundial Feminino e também no Sub-17! Assim como eu torci pro Santos, na final da Libertadores – afinal, era o time brasileiro na final da competição!
É, eu sou de outra época!

MALDITOS TORCEDORES!

Estou vendo a final de um campeonato de FUTSAL no Ginásio Poliesportivo de São Bernardo do Campo (SP). O jogo é entre Corinthians e Palmeiras!

Logo que começou o segundo tempo, as duas torcidas começaram uma violenta briga, que já machucou vários torcedores e está destruindo o ginásio!!

VÂNDALOS!! TODOS OS TORCEDORES DE FUTEBOL SÃO VÂNDALOS!!! ESPECIALMENTE OS DAS TORCIDAS ORGANIZADAS!! POR DEFINIÇÃO, VÂNDALOS!!

Esses caras tem que ser tratados A BALA!!! TEM QUE ATIRAR SEM PERGUNTAR PRIMEIRO!!

E sabe, nós não temos nada a ver com isso, aqui em São Bernardo – o problema é que o Corinthians tem alguma associação aqui com a cidade! E eu estava especialmente nervoso porque minha mãe estava voltando do trabalho!! A briga começou no ginásio e continuou na rua!!!

Quando eu estava vindo pra casa, eu já vi as torcidas! Ainda bem que não estamos perto do estádio, mas, sei lá, né?

Repito: SÃO VâNDALOS, SELVAGENS E TEM QUE SER TRATADOS A BALA!!! TEM QUE ATIRAR, SIM!! NADA DE SPRAY DE PIMENTA, NÃO!!! É BALA, E PRA PEGAR MESMO!!!! TEM QUE FICHAR SÓ POR SER TORCEDOR!!

TORCEDOR DE FUTEBOL = VÂNDALO

E tenho dito!!

Triste

Sabem, se tem uma coisa que eu aprendi sobre a Vida, é que ela é traiçoeira!
Sim, traiçoeira! Quando você dá as costas, ela apunhala! Assim como quando você está num momento mais frágil.
Como aconteceu hoje.
Pior é que eu tenho que melhorar, sozinho, até amanhã! Tenho que estar bom e em paz até amanhã!
Mas como?

Hoje, começa a Fórmula-1 2008. Mas não estou com cabeça pra falar disso.
(Vai dar Hamilton ou Raikkonen.)

Um alento: cheguei em casa, e minha sobrinha estava aqui. Tamanha fofura me fez bem!

Fui.

Encontros e Despedidas

Oi, gente.

Hoje foi o último dia de trabalho de uma colega minha. Ela vai pra Austrália, vejam só.

A gente fez a mesma faculdade, mas não na mesma turma. Eu a conhecia de vista, apenas. Quando ela apareceu lá no escritório, achei-a familiar, mas tive que ficar umas duas horas na base do "eu conheço essa menina!", até finalmente me lembrar.

Mas a vida é assim, né? Ainda que, no caso dessa minha colega, ela acabou reaparecendo na minha vida. Porque a minha história reza que adeus é para sempre! Cerca de 90% das coisas que se foram da minha vida nunca mais voltaram, sequer foram substituídas (até porque isso não seria possível para praticamente todas). É bem na base do "tirei isso de você, agora se vira"!

Sabem, quando eu fiz o post "Relicário", no ano passado, tive que ouvir um monte de uma determinada pessoa bem próxima! Coisas como "é a sua cara: saudosista, derrotista", etc. Mas eu é que sei! Eu é que sei ver as coisas sendo arrancadas sem motivo algum (aparente), sem justificativa alguma, sem trazer nenhum bem, só deixando um grande vazio que nunca é preenchido!

Eu que sei!

Milton Nascimento – Encontros e Despedidas

(Milton Nascimento / Fernando Brant)

Mande notícias
Do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço
Venha me apertar
Tô chegando…

Coisa que gosto é poder partir
Sem ter planos
Melhor ainda é poder voltar
Quando quero…

Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega prá ficar
Tem gente que vai
Prá nunca mais…

Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai, quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar

E assim chegar e partir…
São só dois lados
Da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem
Da partida…
A hora do encontro
É também, despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida…

Lá lá Lá Lá Lá…

A hora do encontro
É também, despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida…

FUI!