2013, cinco anos depois

Hoje, vi portais dando conta de que faz cinco anos que teve o maior protesto, ou o mais importante, daquele monte de protestos de 2013. Alguns desses portais chamavam a atenção para todos os que se feriram na ocasião.

Pena que eles se feriram por nada.

Eu me lembro de ter ficado com esperança, nessa época. De ver toda aquela movimentação e ter pensado “agora, vai”! Eu até escrevi, aqui no meu blog, um texto, acompanhando da música “Será”, da Legião Urbana, para ilustrar a situação.

Pena que escrevi por nada.

Porque, nas eleições do ano seguinte, todo mundo que estava no poder foi reeleito!

Que coisa, né? A situação estava tão ruim, mas tão ruim, que a presidente foi reeleita, o governador aqui de São Paulo foi reeleito…

Lembram desta charge?

leao_burro

Foi exatamente isso que aconteceu… Não teve voto de protesto, não teve novos nomes… Teve a repetição do que estava, a manutenção do que estava!

E teve uma coisa muito pior, que eu já falei aqui, inclusive, no post anterior a este: foi aí que nós nos dividimos em torcidas de partidos políticos! Foi aí que começamos a brigar uns com os outros por qualquer motivo, válido ou não! E foi a partir daí que as passeatas começaram a ficar tão comuns, mas tão comuns, que elas passaram só a ser uma perturbação no trânsito, inócuas além disso, em 99% dos casos! E começaram as passeatas por motivos quaisquer: “Marcha da Maconha”, “Marcha das Vadias”, teve até a “Marcha dos Bons Drink” (sic), lembram-se?

Quanto a mim, essa foi a última vez que eu tive esperança de que o Brasil ia engrenar. Eu me lembro de uma amiga minha, me avisando que não ia dar nada, que era Brasil, que não ia mudar nada… Eu devia ter ouvido!
Afinal, o que mudou, mudou para pior!

E, podem rir, mas o último prego nesse caixão foi dado pouco mais de um ano depois, no 7×1!
Afinal, se a gente estragou até o nosso futebol, o que a gente não pode estragar?

Não tenho mais fé no Brasil, não!

Fé nenhuma!

2013 foi à toa. 2018 também será.

NOTA RIGOROSAMENTE NADA RELACIONADA

Parece que foi ontem, mas já se passaram quatro anos!

E amanhã, lá vamos nós de novo! Mais uma Copa do Mundo!

Espero que não tenha um novo 7×1… Na boa, se a gente conseguir ficar entre os quatro primeiros, mas sem passar tanto vexame, já está ótimo! Chega de ser desclassificado nas quartas!

P..S.: quem quiser ler o post ingênuo de 2013, é só clicar aqui!

Anúncios

Uma semana para a Copa e…

No momento em que escrevo este, falta pouco mais de uma semana para o início da Copa do Mundo de 2018 – a saber, Rússia x Arábia Saudita, dia 14, ao meio-dia (de Brasília) (E estou dando uma revisada enquanto não começa Brasil x Áustria, último amistoso antes da estreia). E eu percebi uma coisa diferente: ainda não tenho nenhuma tabela de jogos!

Antigamente, qualquer lugar que você entrava, saia com uma tabelinha da Copa: lanchonetes, mercados, bancos, lojas de móveis, farmácias… Eram brindes comuníssimos! A esta altura dos acontecimentos, eu já estaria com um monte delas… Mas, neste ano, só tenho a do álbum!

(Em tempo, já disseram que é a própria FIFA que só permite que os patrocinadores da Copa façam as tabelas… É, a cupidez da FIFA só piora!)

Eu sei que tem os aplicativos e tudo, mas eu já ouvi gente comentando que o pessoal está menos animado com isso, neste ano! Eu só vi um bar perto de casa preparando uma decoração para a Copa! O McDonald’s fez os lanches campeões deles, mas, de resto, tudo muito calmo!

Eu fico pensando nos motivos para isso. Em um primeiro momento, me veio que o 7×1 doeu ainda mais do que eu achava. Tem a questão da (eterna) crise, também, se bem que, mesmo na época do 1% de inflação ao dia, estávamos lá torcendo. Mas eu pensei em outra coisa, que não exclui as anteriores: a gente trocou a nossa torcida para a política!

Atenção: eu não disse que a gente desenvolveu uma consciência política, que estamos mais participativos, que estamos trocando o futebol por temas fundamentais ao país. Estou falando de TORCER para um lado, político ou partido como se torce para um time de futebol! Se a gente realmente estivesse discutindo política, praticando política de uma forma saudável (existe isso?), com debates civilizados, tudo bem, valeria a pena, talvez até trouxesse um Brasil melhor. Mas não é o que estamos vendo por aí.

É triste admitir isso, mas, se for isso mesmo, era melhor a gente não ter se politizado tanto…

De qualquer forma, a Copa está aí.

No meu caso, torço para que não haja um outro 7×1! Mas, sinceramente, acho que a Alemanha leva esta e empata com a gente em títulos! E é uma pena que a Itália não tenha se classificado. Seria legal ver o Buffon disputando um último mundial. E, se o Cristiano Ronaldo parar de olhar para o espelho, Portugal deve ir bem, também. Ah, dizem que a França é candidata forte.

Agora, vou ver se acho uma tabela da Copa…

Um pouco (ou muito) de Brasil

Teve um fim de semana em que a Mi e eu, por coincidência, acabamos nos aprofundando um pouco em Brasil – o país, o assunto! Foram dois filmes e um livro mostrando uma fatia do que o Brasil foi, é e, pelo jeito, vai continuar sendo…

Mas, enfim, eu achei interessante, e acho que vale a pena compartilhar, nem que seja só um pouquinho!

GETÚLIO

getúlio_poster

Um baita elenco, um momento pra lá de complicado, e um belo filme!

Getúlio mostra os últimos dias de governo e de vida de Getúlio Vargas, interpretado por Tony Ramos: a partir da tentativa de assassinato de Carlos Lacerda (Alexandre Borges), as coisas começam a degringolar para Vargas, que, primeiro, perde o apoio nas ruas e, depois, nos quartéis. Tudo isso com muitas coisas acontecendo nos bastidores! Se você acha que o Brasil mudou desde aquela época, talvez tenha uma surpresa desagradável…

Agora, eu vou estudar mais sobre essa época e sobre esse filme, também, ver em que ele foi baseado, digo, se foi em algum livro, para saber se realmente dá para confiar na exatidão de alguns detalhes, alguns fatos. E o que mais me marcou, desses fatos, é uma hora que Getúlio diz que já tinha rasgado a Constituição duas vezes e não ia rasgar a terceira!

Tipo… ele disse isso mesmo? E, se ele disse, por que ele não rasgou pela terceira vez, enquanto ainda tinha o apoio dos militares, quando teve chance?

MULHERES NO PODER

MULHERES-NO-PODER

Num futuro não muito distante (ou talvez distante, mas vejam o filme até a última cena e entenderão), os principais cargos políticos do Brasil são ocupados por mulheres. E o barato do filme é mostrar que, bem, isso não faria diferença alguma – as maracutaias, os favores, o “por baixo dos panos”, está tudo lá, exatamente como já é!

E a supracitada última cena é um senhor tapa na cara de quem ainda acredita neste país – especialmente a última fala, examinada no contexto do que acontece no filme!

TODOS CONTRA TODOS – O ÓDIO NOSSO DE CADA DIA

IMG-20170815-WA0002.jpg

Este foi o mais forte. É um livro do professor e filósofo Leandro Karnal (que deu aula para mim na Ibero, em 1998 e 99 – e foi um dos melhores professores que já tive na vida!) tratando de como a polarização política está se dando no Brasil, por que está se dando e, na verdade, também tratando de por que o Brasil é do jeito que é no campo político.

(Spoiler: os políticos são corruptos porque o povo é corrupto! E o professor Karnal explica o tal mito do brasileiro ser o “homem cordial”, que é muito mal interpretado.)

E mais uma coisa: partindo dessa situação, da “torcida de futebol” em que se tornou o debate político de hoje, ele explica por que – no Brasil e no mundo – existem os ódios. E, olha, é de acabar com qualquer esperança! O último capítulo até que sugere duas soluções mas, pra ser sincero, podemos tirar o cavalinho da chuva!

O melhor do Brasil pode até ser o brasileiro. Mas o pior do Brasil é o brasileiro.

É…

Eleições… blargh!

Pois é, chegou o momento de irmos até as urnas de novo e tentarmos eleger o menor dos males! Com ênfase em “tentarmos”. Provavelmente, não vamos conseguir. Até porque é difícil ver quem é o pior!

Eu ainda não decidi em quem votar, nem pra prefeito, nem para vereador. Acho que vou usar a caminhada até o meu local de votação para ir, tipo, excluindo opções, torcendo para ver se sobra alguma. Isso pra prefeito, claro… Pra vereador, até tenho um ou dois nomes, mas, honestamente… Sei não!

De qualquer forma, a minha torcida é que para que passem logo essas eleições, porque está um saco tanta mentira, tanta discussão! Mas, só para desabafar, vou deixar uma coisinha, aqui:

É, eu sei, se anular, os outros é que vão escolher por você, estou deixando o meu poder de escolha de lado, etc, etc, etc…

Mas, honestamente, votar em quem? Pelo menos, se eu anular ou votar em branco, ninguém pode me culpar pela merda que vai dar (e sempre dá)!

Mas, vamos ver, ainda não bati o martelo disso…