Tarde demais

Oi, gente.
Acabei de ficar sabendo que um dos sebos de discos mais tradicionais de São Paulo, o Nuvem Nove, fechou as portas no sábado passado. Reflexo dos tempos.
Eu já tinha ouvido falar nele. Mais de uma vez, passei em frente, de ônibus, e pensei, "um dia, vou entrar aí"!
É…

É!
Em tempo: o nome da loja vinha de uma música do saudoso George Harrison, "Cloud Nine".
Fui.

A música de hoje

a-ha – I’ve been losing you
(Paul Waaktaar-Savoy)

It wasn’t the rain that washed away
Rinsed out the colours of your eyes
Putting the gun down on the bedside table
I must have realized

It wasn’t the rain that made no difference
And I could have sworn it wasn’t me
Yet I did it all so coldly, almost slowly
Plain for all to see

Oh c’mon please now
Talk to me
Tell me; things I could find helpful
How can I stop now
Is there nothing I can do
I have lost my way
I’ve been losing you

I can still hear our screams competing
You’re hissing your s’s like a snake
Now in the mirror stands
Half a man I thought no one could break

It wasn’t the rain
That made no difference
Nervously drumming on: run away
But I want the guilt to get me
Thoughts to wreck me
Preying on my mind

So, please now
Talk to me
Tell me things I could find helpful
For how can I stop now?
Is there nothing I can do
I have lost my way
I’ve been losing you 

(in "Scoundrel Days", 1986)

Femininas

Quatro meses!

Pois é! A minha Tequinha fofolete bochechudinha fez QUATRO MESES, ontem! Ela está com os olhos vivos, bem espertos; já está tentando falar!

Parece que foi ontem… Ela está crescendo muito bem, felizmente!

:_)

Primeiro lugar!!

Muitas já tentaram! Mas só ela conseguiu! Hoje de madrugada, em Motegi, no Japão, A pilotA Danica Patrick venceu o Grande Prêmio do Japão da IRL! Tornou-se, assim, a primeira mulher a vencer uma prova, na categoria, e mais: foi a primeira mulher a vencer uma prova de monopostos numa categoria considerada "top"!

É, vai ter gente fazendo piadinha, vai ter gente tentando desmerecer, vai ter gente tentando diminuir o que ela fez! SÓ QUE ELA FEZ, TÁ?!?!?

PARABÉNS, DANICA!! I know you will never read this, but CONGRATULATIONS!!

FUI!

A música de hoje

a-ha – The Swing of Things

You say the world’s an eventful place
You give me news
I don’t want to know
You say that I should care
That I should speak my mind

Oh, but how can I speak of the world
Rushing by
With a lump in my throat
And tears in my eyes
Oh, have we come to the point of no turning back
Or is it still time to get into
The swing of things

Let us walk through this windless city
I’ll go on till the winter gets me
Oh, "sleep…" you wrote "sleep, my dear"
In a letter somewhere

Oh, but how can I sleep with your voice in my head
With an ocean between us
And room in my bed
Oh, have I come to the point where I’m losing the grip
Or is it still time to get into
The swing of things

Oh, when she glows in the dark
And I’m weak by the sight
Of this breathtaking beauty
In which I can hide
Oh, there’s a worldful out there
Of people I fear
But given time I’ll get into
The swing of things

Yes, when she glows in the dark and
I’m struck by the sight
I know that I’ll need this for the rest of my life

What have I done
What lies I have told
I’ve played games with the ones that rescued my soul
Oh, have I come to the point where I’m losing the grip
Or is it still time to get into
The swing of things

(in Scoundrel Days, 1986)

P.S. 1: essa coisa de "A música de hoje" era um quadro que a rádio Jovem Pan 2 (100,9 FM) tinha no final dos anos 80 (e lá se vão vinte anos!…). Era assim: a cada duas horas, na hora cheia, eles tocavam a mesma música, após uma vinheta! E lá ia eu pro rádio ouvir!… Bons tempos!
P.S. 2: eu sei que eu tinha que ter traduzido a letra, até por força de profissão, mas, justamente, eu passo o dia traduzindo, e hoje foi um dia DAQUELES! E amanhã vai ser outro! Então, desculpem, mas essa vai ficar em inglês mesmo, ok?

FUI!

As razões dele e dela

Oi, gente.
Acabo de ler o volume 21 de "Karekano". É um gibi. Ou era, porque esse foi o último volume!
É uma sensação estranha. Na verdade, eu fiquei sabendo dessa história na época em que eu estava na faculdade (1996-1999), quando eu comecei a freqüentar reuniões de grupos de fãs de animação ("anime") e de quadrinhos ("mangá") japoneses. E, não, eu não sabia japonês – estava no grupo daqueles que dependia da boa vontade de quem sabia e também de uma então muito incipiente internet!
"Karekano" foi um dos desenhos que mais me chamou à atenção, na época. Não era um desenho de super-heróis ou monstros. Era sobre dois estudantes colegiais, a Myiazawa e o Arima, dois CDFs de marca maior que se conhecem, disputam entre si pra ver quem é o número um da escola, ficam amigos, se apaixonam, fazem novos amigos, resolvem questões de família… Tudo muito bem feito, com ótimo desenvolvimento de personagens, sem jamais cair na pieguice!
O desenho, na verdade, eu não vi todo, naquela época. Eu até tenho uma fita (sim, fita) com alguns episódios, mas nunca tinha visto a história inteira.
Com o tempo, acabei parando de freqüentar aquelas reuniões (sem nem conseguir uma namorada "japonesinha"! Chiuf!), mas continuei, de quando em quando, acompanhando lançamentos de animação e quadrinhos japoneses aqui no Brasil. E qual não foi a minha surpresa quando soube que a Editora Panini ia lançar "Karekano" aqui! Pude ler a história inteira – e o quadrinho é beeem melhor que a animação! Aliás, raramente isso não acontece! Mas, enfim, foi muito gostoso acompanhar a vida dessas personagens todas!
E, agora, no final, doeu! Doeu ver as personagens todas crescidas, com filhos e talz…
Foi um FIM. Assim mesmo, com todas maiúsculas. Claro que eu me lembrei do meu colegial. Claro que me lembrei de que eu fui o único da turma que, no fundo, no fundo, nunca cresceu.
Talvez, daqui a alguns anos, eu releia esse gibi. Mas quero fazer isso quando eu já tiver esposa e filhos! Pra eu poder cumprimentar as personagens de igual pra igual!
FUI!

O mais humano

IMAG0179 Olha quem está aí! Na verdade, está na Exposição OFICIAL de Star Wars, no Porão das Artes, Parque do Ibirapuera, São Paulo (mais info aqui). É o C-3PO! Sem o ator Anthony Daniels, é claro!
Sabem, o C-3PO é a minha personagem favorita de Guerra nas Estrelas! Sério (embora eu quisesse ser jedi!): ele tem praticamente todas as emoções humanas – e vive em conflito com elas! Assim como nós!
Ele tem medo, tem lealdade, se preocupa com outros ao redor, se preocupa consigo, não sabe lidar com outras pessoas…
Soa familiar?
Mas, sabem, ele consegue ser útil! Ele sabe qual é o seu lugar e o que tem que fazer!

Ele é melhor humano que eu!
FUI!

Escolhas e destinos

Oi, gente.

Escolhas

Sabem, ter escolhas, possibilidades de escolha é bom! Tipo, já pensaram se a gente entrasse no restaurante e só tivesse rúcula (blaaaargh!)?

Pois é! Mas, aí, entra a frase de uma amiga:

– Não há escolha sem exclusão.

É claro que não é pra levar isso tão a ferro-e-fogo! Tipo, pra quem tem "bala na agulha", dá pra ter um IBM PC e um IBM MacIntosh – e, com bastante paciência, até fazê-los "conversar"!

Mas, em outros aspectos, isso se aplica! Em aspectos bem importantes de nossas vidas! E vocês sabem exatamente do que eu estou falando!

– Não há escolha sem exclusão.

É, eu sei! Mas, aí, a gente fica pensando nos prós e contras de uma decisão, fica pensando no que vai perder se escolher uma opção, se escolher outra, e fica querendo escolher todas, mas não pode, não pode…

– Não há escolha sem exclusão.

E a gente fica amaldiçoando essa coisa de ter que escolher!

É, é bom ter escolhas! A merda é ter que escolher!

Sem saber aonde ir

Aconteceu hoje, quando saí do trampo.

Eu não queria pegar o ônibus, não queria ficar onde eu estava, não queria ir pra casa,… Estava totalmente sem rumo!

Comecei a andar, mas se entrava numa rua ou em outra, se passava pela praça ou dava a volta,…

A parte boa é que eu passei por uns lugares novos. Mas isso tudo só reflete meu estado mental…

Ira! - Sem Saber Para Onde Ir

Como posso andar no escuro,
Se não sei para onde vou?
Sem a luz que iluminava o meu caminho
Como posso estar na vida,
Se não sei pra que estou?
Não vou suportar a dor (x2)

Eu não vou continuar aqui sozinho
Esperando você vir
Tenho que continuar
A minha estrada prosseguir
Sem saber aonde ir
Sem saber, sem saber
Sem saber aonde ir

Sem saber aonde ir
Sem saber aonde ir
Sem saber aonde ir
Sem saber

Fui (só não sei pra onde)!